Resumo

  • Um programa de ideias é um processo simples e flexível, mas que pode trazer uma imensa transformação para seu negócio se executado adequadamente.
  • A continuidade da organização depende da implementação de novas ideias, por isso é essencial um programa para gerenciá-las
  • Comece a estruturar seu programa de ideias com nosso passo a passo

Se você está pensando em dar o pontapé inicial para estruturar um programa de ideias para seu time ou organização, você veio ao lugar certo!

Neste post vamos te guiar por meio de boas práticas que usamos com nossos clientes.

O que é um programa de ideias

Tirando dúvidas se estamos falando da mesma coisa

Primeiro vamos ter certeza que estamos na mesma página quanto a definição. 

Os programas de ideias são um espaço organizado para que colaboradores e parceiros apresentem suas ideias, estas sejam coletadas e organizadas, e, a partir de uma avaliação em conjunto, sejam desenvolvidas e colocadas no mercado. 

Uma reclamação bem comum entre os colaboradores é sentir que suas vozes não são ouvidas pela direção da empresa

Algumas poucas pessoas decidem a estratégia, enquanto a grande massa de colaboradores executa. Neste processo perde-se muito do valor que o restante da empresa teria para contribuir com a estratégia.

Os programas de ideias são uma ferramenta para solucionar este problema. Oferecendo a todas as áreas a oportunidade de contribuir com sugestões e apontar novos caminhos para a organização. 

Normalmente são voltados para o público interno, mas os melhores programas, abrangem também pessoas externas. É possível, por exemplo, convidar consumidores e fornecedores para ajudar no desenvolvimento de inovações, com novos insights para criar produtos e serviços.

É um processo simples e flexível, mas que pode trazer uma imensa transformação para seu negócio se executado adequadamente.

Por que um programa de ideias é tão importante?

Existe um ditado que diz:  “na era da economia digital, Informação é o novo petróleo”, as organizações, portanto, necessitam tratá-las como ativos essenciais para promover o crescimento da empresa.

Isso implica em ativamente coletar ideias e sugestões sobre seus serviços e processos, para que elas se tornem fontes de inovações para o negócio. 

Se a empresa leva a sério sua continuidade de longo prazo, entende que precisa evoluir e adaptar-se com o passar do tempo. São atividades que se deixadas para escanteio podem garantir o pedido de falência em alguns anos. Ou a venda para um competidor mais dinâmico.

Passo a passo para estruturar um programa de ideias

1- Defina sua estratégia

Antes de começar a pedir ideias para todos, é preciso primeiro entender qual é a estratégia de negócios que a empresa pretende seguir. Isso implica em

  • definir onde a empresa está hoje,
  • como o mercado está evoluindo
  • onde a organização quer chegar.

A partir desse entendimento, escolhemos os desafios estratégicos que a organização pretende resolver com seu programa de ideias.

Essencialmente, a estratégia é sobre as escolhas que você realiza em detrimento de todas as outras que rejeita. Fazendo as escolhas estratégicas corretas, a organização avança; do contrário, tende a estacionar ou fracassar. 

Um programa de ideias sem uma estratégia para se guiar, pode desperdiçar tempo e recursos em projetos que não terão o interesse da empresa. Envolva tanto a gestão executiva quanto a linha de frente para definir a estratégia corporativa.

2- Mobilize sua organização

Estruturar um programa de ideias é um compromisso de longo prazo, não é a mesma coisa que realizar uma sessão de brainstorm.

Para a organização obter resultados significantes com o programa, todos precisam entender que essa será uma linha estratégica importante a ser seguida e que a empresa, principalmente seus líderes, estarão investindo no sucesso dela. 

3- Defina os objetivos do programa

Ofereça contextualização sobre a relevância dos objetivos perseguidos pelo programa. É preciso que todos saibam o que está em jogo para que as ideias que surgirem, tragam impacto significativos para o negócio. Devemos responder porque escolhemos a estratégia definida anteriormente. 

Os objetivos devem orientar, mas não limitar as propostas de soluções: se você não abrir margem para soluções não convencionais, seu programa de ideias será míope e vai deixar passar uma série de oportunidades promissoras.  

Uma dica é começar atacando seus três principais desafios:

Pode ser tentar resolver como otimizar o processo de produção, construir uma nova linha de negócios ou adotar um novo canal de aquisição de clientes.

Depois de resolvido o primeiro objetivo, sua equipe estará motivada a tentar resolver os problemas seguintes. 

4- Aponte os patrocinadores do programa

Um programa sem um líder patrocinando, é um programa sem orientação que as pessoas vão deixar de lado.

O patrocinador de nível executivo preferencial é o CEO da empresa, mas nada impede que ele seja realizado por diretores de inovação, tecnologia, P&D, operações ou marketing, contanto que ele tenha o aval da direção para controlar o planejamento. 

Os patrocinadores não são necessariamente quem cuidam do dia a dia do processo, mas quem está comprometido com o sucesso do projeto.

O principal papel do patrocinador de nível executivo é dar direcionamento para o programa de ideias e garantir que o processo seja executado apropriadamente, ao disponibilizar recursos, infraestrutura, defender e facilitar o programa em discussões com outras lideranças da companhia. 

Esta figura do líder executivo também precisa alcançar outros líderes para eles contribuírem no processo, trazendo os problemas, demandas e oportunidades identificadas em cada área para ajudar a estruturar o programa de ideias.   

Trazer a opinião de diversas áreas, não só vão ajudar na busca por ideias, mas também auxiliar na implementação, já que como atores participantes as chances das ideias criadas serem relevantes para implementação aumentam.

5- Decida se haverá ou não um comitê de avaliação

Há vantagens e desvantagens de estabelecer um comitê de avaliação, decida qual funciona melhor para sua estrutura de governança e seus objetivos com o programa.

Um comitê de avaliação centralizado pode oferecer mais controle sobre a aplicação dos investimentos e criar um alinhamento maior entre as áreas, se  for composto de membros de diversas áreas.

O comitê centralizado tende a funcionar melhor para os programas de ideias de menor escala em que um grupo consegue discutir todas as ideias criadas.

Quando há muitas ideias e participantes no processo, o programa de ideias pode ser sub-categorizado em uma série de plataformas que terão seus próprios comitês de decisão.

Você ainda pode optar por tornar o processo de escolha completamente democrático, em que todos os participantes votam sobre a aprovação ou não das ideias.

6 – Promova e estimule a participação

Até agora você tem diretrizes estratégicas, patrocinadores executivos apontando como o programa é importante para a empresa. Mas como garantir que haverá participação?

A primeira orientação é disponibilizar tempo para que as pessoas invistam nestas ideias, a criação de ideias e inovação precisam ser vistas como parte da cultura para que seja valorizada e parte das realizações da organização.

Outras maneiras da participação ser reforçada é por meio de campanhas de marketing internas, reuniões de progresso e tornando a participação um critério de avaliação de desempenho pessoal. 

7- Colete refine e selecione as melhores ideias

Aqui é onde de fato se produz a salsicha do programa de ideias, de início você precisa definir a cadência das atividades: semanal, mensal, bimestral, trimestral, semestral ou anual.

Dessa maneira os participantes terão um melhor alinhamento das expectativas com a capacidade de processamento e implementação da organização.

Não existe uma cadência ideal, ela dependerá dos ciclos de planejamento do negócio e do mercado, assim como o direcionamento do programa

Se você está tentando melhorar um produto ou serviço existente, o ritmo de coleta, refinamento e seleção deve ser mais rápido do que no caso de desenvolver uma nova linha de negócio.

Você também vai precisar de critérios para definir quais ideias têm maior potencial e quais delas precisam de maior refinamento, antes de concluir se serão aprovadas ou rejeitadas.

Se você deseja otimizar esse processo, recomendamos o uso de ferramentas de ideação como o SENNO. Ele vai te ajudar a centralizar a coleta, refinamento e seleção numa única plataforma.

8- Valide, implemente e avalie os resultados das ideias

Agora é o momento das ideias provarem seus valores no mundo real, lembrando que boa parte destas ideias não vai dar certo, por melhor elaboradas que elas sejam.

Inovar é um processo impiedoso que oferece muitos obstáculos devido à incerteza de fazer algo novo. Por isso, o foco deve ser em tentar validar o maior número de ideias possíveis, usando a menor quantidade de investimento.

A vantagem de testar uma série de ideias, é que você evitará esforços desnecessários para implementá-las. Ao identificar as vencedoras e perdedoras, você pode usar os aprendizados para desenvolver novas ideias melhores ou refinar as existentes.

Quando provamos que seu conceito é sólido através dos testes de validação é o momento de escalar e acelerar, para que organização possa obter maiores retornos com a ideia.

Estes resultados precisam ser monitorados para que os patrocinadores possam apresentar os benefícios que o programa está trazendo para a empresa. 

9- Celebre as atividades e distribua recompensas

Quando finalizar um ciclo de planejamento é importante parar e celebrar a jornada até aqui, a continuidade de um programa de ideias depende muito do clima organizacional ser aberto ao compartilhamento das histórias de sucesso e dos aprendizados de ideias que falharam.

É muito importante que o enfoque não seja apenas em uma única direção, já que a maioria das ideias serão descontinuadas.

É preciso apresentar lições valiosas sobre como suas equipes assumiram riscos e pouparam tempo e esforço para a organização ao invalidar uma ideia que parecia promissora. 

Demonstre apoio através de feedbacks dos líderes, oferecendo premiações pela colaboração em ideias de terceiros e pela originalidade de suas ideias. Do contrário, você terá cada vez mais ideias parecidas que não tentam desafiar o status quo por receio de falhar.

10- Otimize e sustente o programa 

Celebrado o ciclo de inovação, é hora de começar tudo de novo, agora com uma série de aprendizados que vão ajudar a guiar o próximo ciclo de ideias.

Talvez seu programa tenha oferecido muitas ideias de curto prazo sem pensar nas grandes ideias transformadoras, ou o programa tenha gerado poucas ideias para uma área de negócios que é considerada chave na estratégia da empresa.

A cada ciclo do programa de ideias, você terá mais lições para guiá-lo melhor para os objetivos futuros da empresa. Lembre-se da importância de comunicar com as lideranças o progresso das ideias e verificar quais novos problemas ou oportunidades surgiram com a implementação das últimas ideias. 

Conclusão

Apresentamos uma série de passos críticos para você ter sucesso na estruturação do seu programa de ideias, sabemos que é um processo muito valioso, mas nem sempre é fácil tirá-lo da gaveta.

Por isso nós oferecemos a infraestrutura tecnológica e expertise de conhecimentos práticos que faltam para seu programa de ideias sair de 0 a 100. Entre em contato com um dos nossos especialistas para podermos começar a te ajudar nesta estruturação.